Sexta-feira, 16 de Novembro de 2018

13/06/2018 10:03:21
Imprimir

Secretaria de Saúde de Nova Odessa orienta sobre prevenção à febre maculosa

A Secretaria de Saúde de Nova Odessa, por meio da Vigilância Epidemiológica do município, está orientando a população sobre os cuidados com a febre maculosa, doença que é transmitida pela picada do carrapato-estrela. As orientações são necessárias, já que uma das seis mortes provocadas pela doença em Americana teve como local provável de infecção a Represa Recanto 2, localizada na Fazenda Velha, onde há placas informando sobre os riscos e onde também é proibido nadar.

Nesta semana, foi realizado um trabalho conjunto entre as vigilâncias Epidemiológicas e Ambiental, junto com o setor de Zoonoses, naquela região. “É importante que nós possamos informar a população de Nova Odessa sobre os riscos, num trabalho de prevenção contra a febre maculosa”, disse a responsável pela Vigilância Epidemiológica de Nova Odessa, enfermeira Paula Mestriner. “Durante os trabalhos de campo que fizemos essa semana, registramos pessoas pescando na Represa Recanto 2, isso mesmo com o aviso de perigo para transmissão da febre maculosa. As áreas de transmissão são demarcadas e sinalizadas, mas infelizmente a população não respeita, seja invadindo as áreas mesmo com os avisos ou arrancando as placas de sinalização”, completou.

TRANSMISSÃO. O carrapato-estrela, que é o vetor da doença, se alimenta de sangue e, por isso, pode ser encontrado em animais como bois, cavalos, cães, aves domésticas e roedores, como as capivaras, que são as principais hospedeiras. Para que ocorra a transmissão da febre maculosa, o carrapato infectado com a bactéria deve estar fixo ao menos quatro horas na pele das pessoas, sendo que não existe transmissão de uma pessoa a outra.

Segundo a Vigilância Epidemiológica, os locais com maior risco de transmissão na cidade são: pesqueiros; todas as margens de represas e rios e locais com circulação de capivaras e cavalos.

Ainda de acordo com o órgão, nessa época mais seca do ano (entre abril e outubro), aumentam os riscos de aves (pardal e pombas) carregarem os carrapatos para dentro das residências. Portanto, todos devem ficar muito atentos.

Também de acordo com a Vigilância Epidemiológica, de 2 a 14 dias após a picada do carrapato infectado, os sintomas da febre maculosa começam a aparecer. Entre eles, a febre alta, dor de cabeça, calafrios, dores no corpo, principalmente nas costas e na barriga da perna e, também podem surgir pontinhos avermelhados na palma da mão e na sola dos pés. A orientação é que, caso a pessoa tenha tido contato com carrapato e apresente os sintomas, procure o pronto-socorro do Hospital Municipal Doutor Acílio Carreon Garcia e informe sobre a possibilidade de ter sido picado por carrapato.

HISTÓRICO. Entre 2010 e 2018, foram registradas em Nova Odessa 38 notificações suspeitas de febre maculosa. Desse total, 7 casos foram confirmados e 2 evoluíram para óbito (1 óbito em morador de Sumaré, que contraiu a doença em Nova Odessa e morreu no Hospital de Nova Odessa em 2011 e 1 óbito em morador de Nova Odessa, que contraiu a doença em Sumaré, em 2015).

Imprimir

Jornal Virtual

Jornal Digital

Patrocinadores

Merlottis Telhas

Anúncios

Merlottis Telhas

Rua Joaquim de Oliveira - 718 - Centro - CEP: 13450-038 - Santa Bárbara d'Oeste- SP


Telefone: (19) 3463-1920 ou 3455-2437
Desenvolvido por